Ministério da Ciência e Tecnologia

Documentação Linguística

A A A

Introdução

Documentação linguística é um campo de atuação da linguística que se ocupa com a criação de registros duradouros de línguas em seu uso, hoje em dia usualmente através da criação de acervos digitais que permitem o acesso e uso deste material mesmo por pessoas que não falam e entendem a língua em questão.

A documentação linguística digital neste sentido surgiu por volta do ano 2000 no contexto da consciência cada vez maior de que a grande maioria das línguas do mundo são línguas ameaçadas e da descoberta das possibilidades dos novos meios digitais.  Esse tipo de documentação complementa a documentação tradicional de línguas através de gramáticas descritivas, dicionários e coletâneas de textos.  No livro Essentials of language documentation, Himmelmann (2006:19) enfatiza que a linguística documentacional em nada questiona a utilidade e relevância de gramáticas descritivas e dicionários e também observa que: “documentação não exclui análise. Justamente o oposto: análise é essencial” (Himmelmann 2006: 23; traduções são nossas).

Panorama geral

  • Uma documentação moderna contém um corpus de gravações em áudio e vídeo (dados primários) de eventos culturais e em particular de eventos de fala natural, isto é, de “textos”.
  • Para documentar o uso da língua em toda amplitude e diversidade, e para garantir a utilidade para diversos objetivos posteriores que possam querer fazer uso da documentação, é preferível que os textos pertençam a uma grande variedade de gêneros e domínios.
  • Os textos usualmente estão acompanhados por anotações (dados secundários). O mínimo de anotações desejado são uma transcrição e uma tradução, mas pode ter muitas outras anotações (glosas, indicações categoriais das unidades, etc.).
  • Este material, os dados primários e secundários, devem ser catalogados com metadados, e organizados conforme seu conteúdo.
  • Uma documentação hoje em dia deve ser digital, em formatos estandardizados e permanentes, garantindo os direitos intelectuais dos falantes.

Projetos e programas de documentação linguística

Existem diversas iniciativas para desenvolver e aplicar a documentação linguística. Ver a página Projetos Afins no site de Documentação Linguística “PALIM” para descrições sumárias e links.

Publicações

Até agora, quase todas as publicações sobre documentação linguística são em inglês. Com a ajuda dos especialistas brasileiros, esperamos providenciar neste site informações básicas em português.
Entre as publicações mais relevantes em Inglês e Espanhol há:

Um manual, muito usado no mundo, que dá um excelente panorama geral da documentação linguística, escrito e editado por membros do  programa DOBES: Essentials of Language Documentation organizado por Jost Gippert, Nikolaus P. Himmelmann e Ulrike Mosel e publicado em sua primeira edição (em Inglês) por Mouton – de Gruyter, 2006. A segunda edição é em Espanhol: Bases de la documentación linguística, John B. Haviland & José Antonio Flores Farfán (coordenadores da versão em espanhol), México: Instituto Nacional de Lenguas Indígenas, 2007. Algumas informações e materiais adicionais a este livro se encontram nas páginas do livro //Essentials of Language Documentation//.